Constantino descarta imparcialidade em nova pesquisa de intenções de voto: ‘Desconfio de todas’

Nova pesquisa aponta que ex-presidente Lula registra 44% das intenções de voto, antes 32% do atual presidente Jair Bolsonaro. Foto: Montagem/Estadão Conteúdo/Alan Santos

Nova pesquisa de intenções de voto para a Presidência da República, divulgada nesta quarta-feira, 3, indica que o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seguem como os principais candidatos no primeiro turno das eleições 2022.

O levantamento, da Genial/Quaest, mostra que o petista registra 44% das intenções de voto, antes 32% do atual presidente. A pesquisa foi realizada entre 28 e 31 de julho, em 27 estados, com 2 mil pessoas. O nível de confiança é de 95%.

O assunto foi tema no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 3. Para o comentarista Rodrigo Constantino, a nova pesquisa não é imparcial. Ele ainda disse que, na maior parte, os levantamentos são feitos por pessoas ou institutos ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT).

“Desconfio de todas as pesquisas. Todas estão apontando a vantagem entre o ultra favorito Lula, que não pode sair nas ruas, mas articula muito bem nos bastidores com os caciques políticos, e o presidente Bolsonaro. O segundo ponto é que o passado do CEO da Quaest o condena um pouco em relação a visão de imparcialidade.

Afinal, o homem foi consultor da campanha da ex-presidenta Dilma Rousseff e outros petistas. Isso da uma palinha do que estamos vendo no Brasil hoje. Na mídia, no meio dos empresários, nestes institutos de pesquisas, muita gente de alguma maneira está ligada ao PT no presente ou no passado, concluindo que Bolsonaro não tem a menor chance”, comentou.

Confira a íntegra do programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 3:

Sair da versão mobile