O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a transferência de Roberto Jefferson, ex-deputado federal e presidente do PTB, para o presídio Bangu 8, no Rio de Janeiro. A informação foi dada pela assessoria do partido na noite desta quarta-feira, 13. O ex-parlamentar estava no Hospital Samaritano da Barra da Tijuca para tratar de problemas de saúde e era monitorado pela utilização de tornozeleiras eletrônicas. Segundo a decisão de Moraes, o quadro de Jefferson “evoluiu de modo a permitir sua alta médico-hospitalar”. Com isso, o ministro do STF estabeleceu que, a partir da oficialização da alta, o presidente do PTB deve retornar para o presídio onde estava sob custódia. A decisão determinou ainda que o Hospital envie a “documentação pertinente” para o STF. Segundo a Corte, a transferência será realizada sob a escolta da polícia e Moraes negou o pedido de prisão domiciliar feito pela defesa de Jefferson.

No sábado, 9, o hospital em que Roberto Jefferson estava internado há mais de um mês, afirmou que não tem mais condições de arcar com os custos de manter o político no local. Em um ofício enviado à Polícia Federal, a instituição citou o “ônus financeiro e humano” da internação e pediu que policiais federais possam ficar no local para escoltá-lo. Além dos custos com o tratamento, eles precisaram fazer uma espécie de vigília com diversos policiais, o que causaria transtorno para pacientes e funcionários. Roberto Jefferson foi preso a mando do ministro Alexandre de Moraes no dia 13 de agosto por formação de quadrilha. Ele foi levado ao presídio de Benfica, depois, encaminhado para Bangu, onde sofreu uma infecção urinária, sendo internado em seguida. Na época, por causa da sua saúde frágil, ele foi transferido para o hospital particular por não ter mais condições de ficar internado nas instalações do presídio.

#NotíciasSTF
O ministro Alexandre de Moraes, do STF, manteve a prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson e determinou a transferência dele do Hospital Samaritano, onde está internado, para o presídio. A escolta será feita pela PF assim que ele receber alta.

— STF (@STF_oficial) October 13, 2021